Ideias para salvar o mundo. Parte VII: Coworking


Na sexta 25.Out.19, no Festival de Inovação de Campinas, a  Oca e eu realizamos, lá no Terracota coworking, uma Roda de Conversa chamada Minimalismo e Consumo Colaborativo: Ideias para salvar o mundo. Este post é um segmento/recapitulação da conversa daquele dia. Neste sexto post vamos conversar sobre outra das muitas possíveis ideias para salvar o mundo: o Coworking. Ideiaspara Salvar o munndo Parte VII Coworking

Mais do que só um escritório compartilhado, o coworking é um lugar onde  pequenas empresas e profissionais liberais se encontram para trabalhar, trocar ideias, se apoiar e crescer juntos.

“O principal ativo de qualquer espaço de coworking é a comunidade que ele constrói.” Censo Coworking Brasil 2018

Nesse mercado de mais de 200 milhões de pessoas, em que iniciar um negócio é tão difícil que afugenta até empreendedores experientes, a flexibilidade de espaços compartilhados começa a se espalhar cada vez mais.

Um pequeno coworking, próximo da sua casa pode ser a solução perfeita para evitar grandes deslocamentos e gerar melhor utilização de recursos naturais e cerebrais. Boa internet, café fresquinho e até piscina podem entrar no pacote onde sim, a gente trabalha com os pés dentro d’água e até vê cinema antes de ir para casa.

No Brasil, os coworkings movimentaram R$ 127 Mi no ano de 2018, e apontam  214 mil pessoas dentro desse ecossistema, com 7 mil empregos diretos. Dos frequentadores de coworking,  43% são Proprietários de empresa e 31% Profissionais independentes, mas existem também 26% de Funcionários (8% convenceram o empregador a pagar).

67% dos coworkers relatam ter melhorado sua vida social.

Isso porque nos coworkings há espaço para contemplar a natureza, para aprender novos conhecimentos, para trocar ideias com pessoas em profissões tão diferentes quanto “um advogado, um engenheiro de software e um desenhista conversavam num bar…” mas não é uma piada, é algo que se vê todo dia, ao menos dentro de um coworking.

Há coworkings com reaproveitamento de água da chuva, luz solar, aulas de meditação e até massagem. Alguns oferecem salas de reunião, outros estúdio de música, alguns tem fruta no pé e outros secretárias virtuais.

O que todos coworkings tem em comum é a busca pela inovação, por materializar um futuro melhor para todos, a vontade de conectar e crescer juntos.

Assim que você puder, procure um coworking, você vai gostar.

.

.

.

Eu escrevi este post faz muito tempo, e além do mais, ele deveria ter ido ao ar antes da crise do Covid-19 se alastrar… mas por algum motivo, não foi.

Mas o que eu escrevi se sustenta: os coworkings que conheço continuam sendo fonte de comunidade, inovação e apoio aos pequenos negócio ligados à eles em meio ao isolamento. Eles deixaram de ter um ponto focal no espaço e cada vez mais nós sentimos a importância deles no mundo intangível.

O fato das pessoas não se deslocarem tanto dos deram a prova da importância de morar e trabalhar localmente, grandes capitais com céu limpo e azul depois de décadas viraram notícias comuns devido ao isolamento social. Sim, coworkings podem salvar os negócios, e o mundo.

Repito:

“O que todos coworkings tem em comum é a busca pela inovação, por materializar um futuro melhor para todos, a vontade de conectar e crescer juntos.

Assim que você puder, procure um coworking, você vai gostar.”

+ Ainda não há nenhum comentário

Fale o que pensa!