O Hábito


O segundo passo para o minimalismo é o Hábito.

Alguns dizem que é preciso 21 dias para formar um hábito, outros 66.

Este é o tempo que nosso organismo leva para se adaptar e automatizar um comportamento.

Ou seja, se hoje eu e você pararmos de assistir TV, em um mês ou dois, já não sentiremos falta dela.

Se alguém começar hoje a se exercitar diariamente, em um mês ou dois, sentirá falta das suas caminhadas, dos alongamentos, da academia.

Para um minimalista, o verdadeiro luxo é fazer ambos, seja qual for – assistir TV ou fazer exercícios – de propósito. Ou seja, com força de vontade, com foco, estando presente no momento presente.

O grande hábito cultivado pelo minimalista é o desapegar-se.

Desapegar-se de seu lixo.

Desapegar-se dos seus presentes.

Desapegar-se das suas doações.

Jogue fora, dê, doe. Tudo o que não é seu, tudo o que não é verdadeiramente você.

A decisão faz o desapego possível, a repetição faz do desapego um hábito.


Para ajudar na criação do hábito, existem vários jogos que trazem a sensação de recompensa, o reforço imediato, a dopamina necessária para tornar este desapego um hábito prazeroso e garantir que o caminho seja tão feliz quanto o destino final.

Um deles é o desafio do calendário,  o Jogo Minimalista.

 

+ Ainda não há nenhum comentário

Fale o que pensa!