O que aprendi vestindo #1lookporumasemana


A Lilian Pacce e a Fe Cortez (do Menos 1 Lixo) propuseram e eu topei. Vestir a mesma roupa por uma semana. Sem lavar. Para todo lugar. Só mudando os acessórios. A ideia era propor um debate anticonsumismo, um anti #OOTD (outfit of the day – ou #lookdodia). Eu e muitos outros no Brasil inteiro, vestindo a mesma roupa por uma semana. Foi uma semana que me fez pensar bastante, e aqui está um pouco do que refleti e aprendi.

#1lookporumasemana

Blusa de gatinhos e jeans skinny que deram muito pano para manga

Eu havia ganhado uma blusa de gatinhos da minha irmã e tinha decidido que vestiria na igreja, para estreiar. Antes da estréia, eis que eu descubro o grande desafio #1lookporumasemana. Independente da temperatura, a blusa estava decidida. E, se for para encarar um desafio, é importante ter alguém de confiança ao seu lado, foi assim que essa calça jeans em particular entrou na jogada. o desafio, foi registrado diariamente no meu instagram, mas eu ainda tenho mais algumas coisinhas para contar…

O desafio começa quando a  jornalista, escritora e consultora de moda Lilian Pacce descobre, indignada que a moçada da internet tira a foto da roupa nova, posta, e depois, fica com “vergonha de repetir o look”. A empresária e ativista ambiental Fernanda Cortez, criadora do Menos um Lixo popularizou o desafio, chamando diferentes pessoas da cena de economia e moda sustentável, ecologia e minimalismo. E foi assim que eu entrei nessa.

Eu nunca fotografo meus visus, fotografo sim, meu armário cápsula (como este, do último outono), mas foi muito interessante, especialmente como motivação.

Inicialmente, eu comecei contando para várias pessoas. Talvez até por insegurança, eu não me animei a entrar no desafio e esperar a reação do público… uma pena, no final eu percebi que aquelas pessoas que não sabiam, nem notaram a não-mudança de roupa. Eu me esforcei muito para criar visuais diferentes com outras peças mais marcantes, mas acho que, seu eu não consigo lembrar que roupa usei ontem, porque alguém mais lembraria? E se alguém se importa tanto a ponto de decorar a roupa das outras pessoas, será que vale a pena o esforço de tentar impressionar essa pessoa em particular?

A primeira preocupação – e comentário cômico – de toda pessoa para a qual eu contei era: “Que porquisse!”  “Quem inventou esse desafio só pode ser europeu”  e eu mesma pensava: “como evitar o perfum de le gambá?”. Mas o fato é que:

  1. Adultos não se sujam tanto quanto crianças – então nossa roupa não fica, de fato, suja. Ela pode ficar suada, amassada, pegar cheiro do ambiente (amigos fumantes – sorry), mas suja… só se for muito azar derramar café ou molho, né!
  2. Se você tiver uma roupa cara, você não quer lavar muitas vezes a peça, para que ela dure mais. Se você tiver uma roupa barata (fast fashion, quem nunca?) você também não quer lavar muitas vezes a peça, para que ela dure mais. Haja saquinhos para roupas frágeis na lavadora, ou dinheiro para lavanderia, melhor achar outra solução!
  3. Uma boa forma de não lavar as roupas seria arejar ou limpar com vapor, mas mesmo essas alternativas exigem certo cuidado.

Falando em lavanderia, foi essa a solução que encontrei: lavagem à seco caseira. Calma, eu explico.

Somente arejar a peça funciona muito parcialmente. Sim, o mau cheiro diminui, sim a umidade da peça sai, o que faz com que as bactérias trabalhem mais lentamente, mas elas continuam lá, é só vestir de novo que o caos recomeça. É preciso que a peça seja colocada em um cabide da forma correta (pois cada roupa e tecido tem formas diferentes de serem penduradas em cabides) e é preciso que fique em um ambiente seco, ventilado e longe de outros odores fortes… algo difícil de achar em qualquer lugar. Ah sim! A sua roupa não pode estar muito suada, senão é melhor levar mesmo! – ou seja, uma solução que funciona dentro de condições de vida muito controladas.

Outra alternativa seria a limpeza a vapor. Seja usando aquelas  máquinas desodorizadoras (tipo a Brastemp Pret-a-Porter) ou os famosos vaporizadores (steamers), além de, de fato, matar os responsáveis pelo mau cheiro da roupa, ela volta renovada graças à rehidratação das fibras. Então, em uma tacada a roupa sai lavada e passada, como nova. Eu tenho um steamer. O grande problema: dá trabalho passar a roupa com ele! E o serviço pode ficar bem mal-feito se vocẽ não estiver com o humor para a coisa…

Design sem nome (3)

Eu tenho o 5 em 1, limpo minha casa inteirinha só com água!

Passamos, então, à mais rápida e fácil alternativa de todas: lavagem à seco, ou: limpeza química. Podemos recorrer aos famosos e tradicionais Lysol ou Lysoform (nos blogs gringos, vc vai encontrar o Febreze). É só “sprayar”, esperar secar e voilá! está pronto. Eu, como boa minimalista, engenheira química, ‘ai que preguiça de ir ao mercado’, que sou, decidir fazer um refrescante (ou desodorizador) de roupas caseiro.

Como você pode ver no post  sobre os usos milagrosos do vinagre, sozinho o vinagre não resolve o cheiro de suor, é preciso ajuda do nosso outro grande parceiro de limpeza minimalista: o bicarbonato de sódio.

Muito simples, você vai precisar de duas embalagens em spray e faça o seguinte:

Spray 1 [renovador de roupas caseiro]:

  • 100ml de água
  • 200ml de álcool
  • 200ml de vinagre de vinho branco

Misture nessa proporção 1:2:2 (eu fiz bem menos) e siga essa ordem – ele esquenta quando você coloca o vinagre. Aqui em casa eu tenho álcool perfumado, simplesmente joguei uma rama de canela dentro do pote do álcool, ele extrai o perfume e a cor – cuidado onde e quanto você usa. A proporção dessa receira veio do blog da Oficina de Estilo, que tem muitas dicas e é ótimo!

Passe o spray na roupa pendurada do avesso e aguarde secar, aí passe o segundo spray:

Spray 2:

  • 100ml de água
  • 2 colheres de sopa rasas de bicarbonato de sódio

Pronto! O spray de vinagre dá conta do cigarro, cheiro de comida, etc. e o bicarbonato cuida do cheiro de suor. Sua roupa estará linda e cheirosa no outro dia.

Com isso tudo, eu cheguei às seguintes conclusões:

Posso cuidar bem melhor das minhas roupas: casacos, por exemplo, só recebiam o tratamento à ar, agora recebem um spray refrescante.

Posso cuidar bem melhor das minhas roupas e da minha casa: posso lavar menos certas roupas do meu dia a dia e repetí-las com um intervalo menor, causando menos bagunça no meu quarto, antes de serem lavadas.

Posso cuidar bem melhor de mim: esse negócio de ter que ser criativa dentro de um limite bem mais restrito do que estou acostumada – o armário cápsula tem 33 peças para escolher! – despertou um sentimento mais lúdico em relação ao momento de me vestir. Como resultado, tenho me divertido bem mais na hora de escolher as peças e me preocupado bem menos em estar adequada com o ambiente. Mais adequação comigo e meu mundo interno, menos com o mundo externo.

Posso cuidar bem melhor do meio ambiente: a menor preocupação com o mundo é a preocupação em agradar, já a preocupação ecológica aumentou. Lembre-se que toda roupa acaba, mais hora, menos hora, virando lixo. Então, suas escolhas, e a forma de cuidar delas até mesmo no momento do descarte, importam – e muito.

Então, o negócio é não levar nem a roupa, nem a vida tão à sério. Mas levar ambos, com cuidado e carinho.

3 Comentários

Fale o que pensa!
  1. 2
    Mariluce

    Muito bom passar sua experiência e as receitas do spray. Já uso uma roupa por semana e ganhei tem e economia, realmente as pessoas não lembram e se lembrarem o que importa , penso que na escola era usado farda , a mesma o ano todo . Uma semana usando a mesma roupa é prático e recomendo . Vou compartilhar sua experiência no insta da minha startup @levesejaleve . E empolgar mais pessoas !!

+ Comente!