Ideias para salvar o mundo. Parte V: Economia Coletiva


Na sexta 25.Out.19, por ocasião do Festival de Inovação de Campinas, eu realizei junto à Oca, lá no Terracota coworking uma Roda de Conversa chamada Minimalismo e Consumo Colaborativo: Ideias para salvar o mundo. Este post é um segmento/recapitulação da conversa daquele dia. Neste quinto post vamos conversar sobre outra das muitas possíveis ideias para salvar o mundo: a Economia Coletiva.

Ideias para salvar o mundo: ParteV: Economia Coletiva

Tanto a sustentabilidade quanto a comunidade são uma parte inerente e inseparável do consumo colaborativo e não uma reflexão tardia ou um suplemento. – Rachel Botsman + Roo Rogers  | O que é meu é seu

A economia colaborativa traz um novo olhar para as lógicas de produção e consumo na sociedade capitalista. No entando, com a mudança rápida dos tempos, não é muito claro o que é ou não é economia colaborativa.

Um exemplo tradicional de economia colaborativa é a cooperativa, um exemplo mais recente são os aplicativos de transporte. Economia colaborativa é quando um grupo de pessoas trabalha junto para suprir uma necessidade em comum.

Dentro da economia colaborativa a troca ocorre entre os indivíduos. Quando emprestamos algo para um amigo, parente ou vizinho, estamos fazendo economia colaborativa! Cooperativa de estudantes? Economia colaborativa! Quando compramos ou vendemos um bem, seja um carro, uma geladeira ou uma roupa de segunda mão – economia colaborativa! Aluguel por temporada? Economia colaborativa! E isso vale tanto para o mundo on-line ou off-line!

A ideia é que assim atingimos uma melhor utilização dos bens naturais, prolongamos a vida útil dos bens industrializados e geramos economia! (e aqui eu estou falando no sentido de engordar o nosso porquinho e o das outras pessoas iguais a nós, mas também no sentido de movimentação de dinheiro).

Na Economia Colaborativa de agora, os aplicativos servem como intermediários entre as pessoas que querem acessar um bem e aquelas que o possuem.

Outras expressões que você pode encontrar relacionadas à Economia Colaborativa são: 

  • Economia do compartilhamento
  • Economia compartilhada
  • Economia open-source ( código aberto”)
  • Economia peer-to-peer (P2P, “entre pares”)
  • Crowd economy  (economia de multidão)
  • Open Innovation (Inovação Aberta)
  • Modelo de negócios On-Demand

Segundo o termo da Wikipedia, a Economia Colaborativa “evidencia o poder das multidões e como estas, aliadas à tecnologia, mudam a forma como o mundo se relaciona e faz negócios”. 

É comum vermos frases do tipo “a maior empresa de taxi do mundo não possui nenhum carro”, referindo-se à Uber e – infelizmente, o que temos visto é que as pessoas tem uma tendência maior a adotar as versões da tecnologia colaborativa que são uma evolução mais próxima de tecnologias antigas: os taxis existem desde o tempo das carruagens (uma pessoa possui um veículo e presta o serviço de levar a outra ao seu destino), mas serviços como o compartilhamento de carros tem menor adesão.  Bons exemplos são os serviços como os do car2go – da Daimler e BMW, e a startup Grow – das bicicletas Yellow e patinetes Grin, onde a empresa continua a possuir o veículo, mas as pessoas compartilham o uso dele através do aplicativo. A car2go se retira dos EUA no final de Fev/2020 e a grin, sai de 13 principais cidades do Brasil para apenas 3: São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba no final de Jan/2020. Questões como infraestrutura das cidades, regulamentação  e adoção pelo público se misturam e influenciam muito nosso relacionamento com essa (nem tão) nova economia.

Algumas formas de economia compartilhada são especialmente queridas ao meu coração e vão receber posts especiais, em breve: o Guarda-Roupa Compartilhado e o Coworking, aguardo você!

Se você quer saber mais sobre Economia Colaborativa  pode começar com:

 

 

 

 

+ Ainda não há nenhum comentário

Fale o que pensa!